quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Toneladas de trabalho

Olhando para a linda terra vermelha, revolvida em torrões macios pela grade do trator, não dá pra pensar que plantar capim possa ser muito difícil. É só jogar as sementes, certo? Quem dera... Colhemos amostras da nossa bela terra, e a análise mostrou que precisávamos corrigir a acidez. Me deu uma raiva... Me senti uma mãe que tem a filha reprovada na audição de balé. Como assim, a minha terra não passou no teste? Não é boa o suficiente? Que absurdo! Ela é com certeza a melhor de todas... Bom, mas depois me conformei. Tem que corrigir a acidez, não tem jeito. Mas como se faz isso? O técnico explicou que é só misturar um pouco de calcário. Na minha cabecinha inexperiente em pastos, imaginei alguns carrinhos de mão cheios de calcário. Então, quando começaram a me falar em toneladas, em dezenas de toneladas, caí das pernas.
O pior é que estas toneladas viriam de longe, então o preço do frete acabou quase igual ao do produto. Mas até aí se dá um jeito. Quem precisa viajar nas férias ou comprar roupas novas quando se pode adquirir um montão de calcário novinho? Já estou acostumada... O verdadeiro problema era: como passar com uma carreta carregada com esse peso elefântico por uma estradinha de terra, com ladeiras de cascalho, cheia de mata-burros meio desabados e pontes de madeira pelas quais temos medo de atravessar mesmo a cavalo. Fizemos a viagem várias vezes, experimentando caminhos alternativos, até conseguirmos determinar um trajeto mais seguro. E depois de uma manhã com o coração na mão, imaginando se um trator seria capaz de desencravar uma carreta que caísse num mata-burro, recebi a maravilhosa notícia de que o calcário tinha chegado em segurança.

Que beleza! Agora é espalhar e misturar na terra. Não seria tão difícil se a correia do trator que pegamos emprestado não tivesse arrebentado nos primeiros cinco minutos de trabalho.

Luís Henrique e Leandro quebraram a cabeça para solucionar o problema, enquanto a Frida aproveitava a sombra do trator pra descansar.


Que trabalheira! Tiveram que substituir a correia e só deu pra terminar o trabalho no dia seguinte. Mas no final a terra ficou "corrigida". Próximo passo: semear! As sementes ficaram guardadas lá em casa, com muito cuidado, como se fossem as joias mais preciosas, só esperando as chuvas começarem pra valer.


Nenhum comentário:

Postar um comentário