quinta-feira, 8 de maio de 2014

Ninho em construção

          Em meio ao caos da reforma da minha casinha tento achar um ponto de equilíbrio. Em meio à poeira de cimento que impregna tudo, ao barulho da maquita cortando as paredes para as instalações elétricas, ao amontoado de fios elétricos, luminárias e peças de hidráulica que se tornou meu quarto de dormir, tento não surtar e encontrar paz pensando no que já conseguimos até aqui. Olho a grama sendo estragada pelos montões de areia, brita e tijolos. Olho para os rombos na parede do banheiro que o Leandro e o Neto fizeram com marreta, para trocar a caixa d'água. Olho para as paredes inacabadas, para o vai e vem dos pedreiros, trazendo o barro vermelho do quintal pra dentro de casa e tento não me descabelar ao lembrar quantas vezes já lavei o chão antes de me conformar que ele não ficará limpo até essa fase passar. Penso nos prazos que estão correndo, nas contas a pagar e tento não sair do prumo. Aí me lembro de olhar para as baias. E lembro que há pouquíssimo tempo, naquele piquete em frente à casa, só se via o chão vermelho, machucado pelas máquinas que aplanaram o terreno. A construção tão simples, tão pequena que agora se ergue ali me enche de orgulho e esperança. A madeira rústica, as telhas antigas, reaproveitadas da demolição de uma antiga escola, a casinha de cerâmica para os passarinhos, que eu pendurei, são as coisas mais simples do mundo, mas juntas formam um sonho realizado. Bom, formam um primeiro pedacinho de um sonho que é um pouco maior. Mas vendo esse primeiro pedacinho pronto, sei lá... de repente vislumbro o todo que ainda vai tomar forma. E acredito que daqui a pouco tempo, se Deus quiser, teremos nosso ninho pronto. Pequeno, simples, aconchegante e cheio de carinho como o dos moradores da casinha de cerâmica.

Duas baias: mais um passo rumo ao nosso sonho

Lord Ken foi o primeiro a se instalar na nova casa

Esse casalzinho apaixonado também logo achou seu cantinho lá nas baias

O pai orgulhoso, sempre defendendo o ninho

Olha a mãezinha aí. Os dois filhotes já estão grandinhos e logo devem estar ensaiando os primeiros voos.
Coloquei também um comedouro com sementes para eles.


Gostei dessa foto: no cantinho esquerdo do telhado, dá pra ver a casinha dos canários. Bem no topo do pé de jasmim manga, o pai canário está pousado. No cantinho inferior esquerdo da foto, a carinha da Meg. E por todo lado, muito amor e esperança.


4 comentários:

  1. Ownn... que fofo, Giselle! Amei, amei, amei tudo! Lindas fotos... e o texto, apesar do barulho da maquita ao fundo (oh, como é enlouquecedor!), é encantador... justo o que eu precisava depois de um dia cansativo de trabalho.
    Estava com saudade de vir aqui e acho que escolhi a hora certa. Obrigada por esse post tão delicioso!
    Abraço,
    Jussara - minasdemim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jussara, que bom te ver aqui! Adoro suas visitas. Beijos e uma linda semana pra você!

      Excluir
  2. Oi, Gisele!
    Não existe sonho que não demande trabalho e eu estou feliz de ver que você está realizando um sonho de cada vez! Existe poesia em suas palavras e transcende carinho e dedicação! A foto é dígna de um porta-retratos!
    Na torcida!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  3. Parabéns este é o primeiro Blog que eu paro e leio e não consigo para de ler, eu e minha esposa ficamos aqui lendo e lendo, você e mestra nas palavras, não pare, queremos saber mais sobre suas aventuras roçeiras, kkkkk também estamos construindo um sonho, tem até uma cisterna também kkkk, grande abraço e parabéns

    ResponderExcluir